terça-feira, junho 28

Natal na Babilônia

(Veja com reservas)



O atraente sacerdote que era o conselheiro especial da Alta Sacerdotisa, ou Sukkal, mal podia conter sua excitação ao entrar na sala de estudos de sua senhora.

- Duas meninas e um menino nascidos neste dia que passou minha Senhora: fomos três vezes abençoados este ano! Ele comunicou, curvando-se em reverência ante a Alta Sacerdotisa de Uruk.

O sorriso da Alta Sacerdotisa era lindo de se ver.



- Três crianças do Ritual do Ano Novo, ela exclamou, concebidas nove meses depois da primeira Lua Nova da Primavera! É verdade, fomos todos três vezes abençoados este ano!


Ela contemplou com afeição seu principal conselheiro e ambos compartilharam um momento de pura alegria, conspiração e indisfarçável ansiedade... Melhor dizendo, curiosidade.

- Certo, vamos traçar o nascimento destas crianças especiais, e quando elas crescerem, que nós tenhamos altas sacerdotisas e sacerdotes, construtores de templos, guerreiros, poetas e reis e rainhas nelas! Exclamou a Alta Sacerdotisa e ambos correram para pegar seus instrumentos de trabalho, todo tempo desejando o melhor para os recém-nascidos, suas famílias e o mundo em geral que os estava acolhendo em festa.





Nota da Lishtar: Para aqueles que estão familiarizados com mitologia, sabe-se que muitas crianças, Heróis e Heroínas são de linhagem Humana e Imortal. Como isto pode ocorrer? Uma das formas de compreender esta verdade contida em mitos é fazer a carta astrológica da hora do nascimento desta criança e ver que Divindades estavam nos céus no momento de seu nascimento, bem como ver em que data tal criança foi concebida. Crianças de linhagem sagrada eram quase que sempre concebidas no Ritual do Casamento da Primeira Lua Nova do ano, no começo da Primavera, para então nascerem nove meses depois no Solstício de Inverno, ou Natal. Tenho razões para supor que o nascimento e crescimento destas crianças eram acompanhados pelo templo com feliz expectativa. Considerando a importância da deusa na Mesopotâmia, também creio que o nascimento de meninas nesta data era um evento de igual importância ao nascimento de um menino.


Até mesmo o Menino Divino do Natal Cristão, portanto, é uma criança concebida na Lua Nova da Primavera, sendo também metade Divino, metade Humano... Tal qual Gilgamesh, Hércules e tantos outros. Portanto, esta é uma experiência de Natal na Mesopotâmia, que pode muito bem Ter-se dado muitas e muitas vezes por esta época do ano.



Gutemberg de Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário