segunda-feira, maio 9

Negra Flor

Prefiro negra e bela flor.
A vil vermelho amor.
Prefiro a solitária dor.
A companhia de tão cruel opressor.

Aprecio a metamórfica loucura,
Que a mim se apresenta como cura.
Para a estática razão que perdura.
Que diz: Em linhas alheias não se rasura.

Gutenberg de Moura



Nenhum comentário:

Postar um comentário