domingo, maio 8

Viva a Hipocria

Às vezes me pego pensando.
“Oh, Deus porque me privaste do Dom da Ignorância”.
Pois me é demasiado sufocante perceber sem maquiagens as faces de meus “semelhantes”.
Suas intenções, suas dores, seu medos, suas vilezas.
Suas esperanças, suas benevolências, suas honestidades.
Não, não posso ser injusto, me comprazo quando vislumbro virtudes, não somente as destinadas ao meu Ser, porém a todos, em qualquer grau, e quanto mais hostil e perversa a situação, aos meus olhos se agigantam sua Abstração.
E quando observo a transcendência e o total desapego, que percebo nos gestos de alguns “seres raros” para com outros, causa-me um êxtase inefável.
Todavia, são raras tais materializações do “Divino”, o “Bem se materializando pelo Bem”.
Afundamo-nos com incrível rapidez e facilidade no mar ácido da ”Hipocrisia”. Principalmente naquelas praticadas pelos “Hipocristãos”.
Mas vivemos em um meio social, portanto a hipocrisia é de fundamental importância, é como costumo dizer “A ordem do caos”.
Sim demonstrarei em um exemplo, pois compreendo que nossa mente necessita de alegorias para entender fatos simples, tal qual uma criança necessita de associações, juntamente com uma voz infantil para lhe explicar o que é “Caca”, ou seja, sujeira que não se deve pegar.
Voltemos ao exemplo:
Estava Eu assistindo televisão (pois é não posso negar que me utilizo da máquina de fazer doidos) quando passando por um canal, algo me chamou a atenção.
Em um programa “Ecumênico” duma dessas L... qualquer coisa.
Havia uma música de fundo, do tipo feita para emocionar, um monte de crianças de cabeças raspadas,cabeças baixas, vestidas todas iguais (lembra alguma coisa?).
Andavam em fila indiana, para receber sua comida (ração).
Depois apareceu um Homem, de aparência muito refinada, com terno de corte impecável, e com uma fala mais impecável ainda.
Discorria sobre sua benevolência, e sobre como não havia pessoas que não fazia igual a Ele.
Discurso que acompanhei por uns dez minutos, depois veio propagandas sobre suas obras literárias (acho que de conteúdo duvidoso), e logo após apareceram na tela provérbios de “Grande sabedoria” soltos a esmo, todos atribuídos a Ele mesmo.
Depois disto, afirmei:
- Ai está o Bem pela “Glória”. Da soberba de ser Virtuoso e Humilde, apontando os vícios e a arrogância de outros!!!
Um viva à Hipocrisia!!!
Aplaudamos de pé a Hipocrisia!!!

Gutemberg de Moura

Nenhum comentário:

Postar um comentário